Site da JUFRA - Juventude Franciscana do Regional NE A2 CE/PI! Meu Verdadeiro Ideal!

Projeto #FormAção: Como ser um (a) Jovem Cristão (ã)

 Antes de retratar sobre o tema citado, devemos nos perguntar: Que tipo de cristãos nós somos? Talvez essa pergunta nos coloque no caminho para análise que faremos aqui.
Podemos até saber como deve ser um bom cristão, mas pouco nos questionamos como somos.
Definir um bom cristão pode até ser um enumerado de atitudes, mas podemos ser simples na sua definição. Ser um bom cristão é ter uma vida literalmente transformada por Cristo, personalidade moldada pelo Espírito Santo de Deus, onde se busca o cumprimento de seus mandamentos em todo o seu modo de viver, onde se deseja ter o caráter de Cristo.
“Nenhum grupo religioso pode ser considerado cristão se realmente não seguir a Cristo, se não O tiver como Senhor e Salvador (Lc 2.11; Jo 4.42; Jo 20.28); se não guardar Seus mandamentos (Jo 14.15); se não permanecer nEle e em Suas palavras (Jo 8.31); se seus adeptos não forem realmente discípulos de Jesus (At 11.26); se não crer nEle, na Sua morte e ressurreição corporal (Mc 14.28; Jo 3.18);”
“Se não batizar seus seguidores em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo (Mt 28.19); se não cumprir a ordenança da ceia – pão e vinho – em Sua memória (Mt 26.26-28); se não crer nas Escrituras e em todas as palavras do Senhor Jesus (Mt 22.29; Jo 2.22; At 17.11); se não crer que Cristo é o Verbo encarnado, o Deus que se fez homem e habitou entre nós (Jo 1.1, 14); se não aceitar que Ele é o Criador de todas as coisas (Jo 1.3, 10); se não crer na Sua eternidade (Jo 1.18; 6.57; 8.19; 10.30, 38; 14.7, 9, 10, 20)”. (Pr. Airton Evangelista da Costa – O Desafio de ser Cristão – Por Litrazine - http://www.kairosministeriomissionario.com/)
“O jovem, hoje, não pode mais viver sozinho, senão o mundo o egole”, diz Felipe Aquino, professor e apresentador da TV Canção Nova.
Para professor Felipe, hoje nós vivemos num mar de iniquidades, no qual o pecado ronda o jovem por todos os lados. No entanto, existem “ilhas de piedade” e são nelas que eles precisam se agarrar.
Essas “ilhas de piedade” são os movimentos da igreja católica como fraternidades, comunidades e pastorais. “Os jovens precisam, por questão de sobrevivência, conhecer o Catecismo da Igreja Católica, a história da Igreja e estar junto com outros jovens, porque uma única árvore é facilmente derrubada pelo vento, mas uma floresta não”, conclui o professor.
E quanto a viver “o desafio de ser jovem cristão”, devemos encarar não como um temor e sim algo que nos faça superar barreiras e nos aproxima cada ver mais de Deus. É ter atitude e coragem para reconhecer suas próprias fraquezas e os pontos negativos que se têm e que resultam em um comportamento muitas vezes distorcido ao Evangelho e ter a disposição para buscar em Deus e deixá-lO moldar tais fatores negativos aprimorando-o para uma vida de cristão literalmente. É ter uma vida pautada no Evangelho genuíno de Jesus Cristo. É um conjunto de fatores que se busca em Deus para que Ele te molde, apare os espinhos, te sare do que é necessário e “Assim diz o Senhor, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou o Senhor, o teu Deus, que te ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em que deves andar”. (Isaías 48:17)

Nós precisamos fazer a diferença, buscando viver com firmeza e determinação os ensinamentos de Cristo, reconhecendo que a nossa vida foi um presente que Deus nos deu para cuidarmos bem, pois ela pertence a Ele, e não a nós. “Não sabeis vós que sois templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo” (1 Cor 3,16-17)

Projeto #FormAção







Nenhum comentário:

Deixe aqui o seu comentário e diga seu nome!
Paz e Bem

Tecnologia do Blogger.